PISCINAS NATURAIS

Uma piscina ecológica é como um lago natural, um sistema que usa a natureza como modelo, recriando a estrutura e dinâmica funcional de uma zona úmida natural. Embora nem sempre seja fácil aceitar a ideia de se ter uma piscina ecológica em vez da clássica, a sua construção não apresenta grandes dificuldades ou custos, basta apenas alguma informação e vontade. Assim, há que ter esperança de que um dia se priveligiem estes sistemas em detrimento dos convencionais, pois estas piscinas representam um ecossitema em equilíbrio e com capacidade de se auto-regenerar. 
Uma piscina clássica acarreta custo elevados de construção (é sempre necessário a existência de um muro de betão em toda a volta), e de manutenção, na medida em que é feita uma estrelização constante da água, a utilização permanente de produtos químicos, mesmo nos períodos de menor utilização, e consumo de energia com bombas e filtros. É ainda importante mencionar o facto das piscinas convencionais acarretarem problemas de índole ambiental, económico e saúde. De facto, o cloro e os produtos quimícos utilizados na desinfecção são irritantes para a pele, olhos, cabelo e nariz, provocam desequilíbrios nos ecossistemas vizinhos e dificuldades acrescidas no tratamento dos efluentes. No entanto, apesar de se conseguir uma depuração da água muito boa é necessário que seja feita uma substituição total da água com uma certa periodicidade.Para além do que foi
referido, é importante ter em atenção o impacto visual, que é sempre artificial e desenquadrado da natureza. Existem outros problemas, inerentes às piscinas clássicas, que se prende com os assentamentos de terreno após a construção, que muitas vezes provocam problemas como rachas, fissuras, falta de impermeabilidade, azulejos descolados, roturas nas canalizações, etc.



As piscinas ecológicas não têm qualquer tipo de filtro mecânico, não são introduzidos produtos químicos na água, a limpeza e a purificação desta é feita pelas plantas, que também oferecem uma decoração aquática útica, onde a variedade de cores, texturas e cheiros passam a ser uma constante. Pode-se dizer que estas piscinas representam uma tecnologia limpa com funções lúdicas, estéticas, paisagísticas e de contributo para a saúde mental dos utilizadores, bastante evidentes. Para além do que foi referido, elas são inofensivas para a pele, olhos e cabelos, contribuem para a manutenção da biodiversidade ao criar um micro-ecossistema utilizável por
avifauna palustre, anfíbios e répteis. Estas piscinas também contribuem para a diminuição de melgas e mosquitos porque a água tem demasiado oxigénio e devido à presença de predadores, têm baixo custo energético, são silenciosas, não emitem cheiro e têm manutenção irrelevante (corte das plantes secas nas margens, remoção de folhas mortas, reposição da água evapo-transpirada e limpeza do fundo no compartimento de natação com um aspirador de dois em dois meses a partir da Primavera ou por queda se o declive o permitir).

REFERÊNCIAS


Franke, W., 2005. “Piscines écologiques – de la conception à la réalisation.”, ULMER, França.

www.naturlink.com; www.naturerlebnisbad.de; www.combloux.com; www.biopiscinas.pt

Um comentário:

  1. lEGAL ESSA IDÉIA DE CONSTRUÇÃO DE PESCINAS NATURAIS E ECOLÓGICAS.
    GOSTARIA DE SABER SE É POSSÍVEL APROVEITAR UM CURSO D'ÁGUA (RIACHO, LAGO OU RIBEIRÃO) PARA CONSTRUIR UMA PISCINA NATURAL, SEM AGREDIR O MEIO AMBIENTE.
    ATENCIOSAMENTE
    JACKLINY
    biotudodebom@yahoo.com.br

    ResponderExcluir